Feeds:
Posts
Comments

Archive for the ‘Realidade’ Category

Então, jamais saberás!

“…Não havia nada cobrindo os olhos, era visto por ambos, e no profundo sentimento, que teria que esquecer mesmo não querendo.
Impossível voltar a fantasiar por mais que fosse do teu cotidiano, e era assim mesmo como se comportava, já não havia como mudar…”

Simplesmente a calculista esbarrou em algo emotivo e impulsivo. Isso lhe fez pensar mais uma vez na realidade que a assombrava, que a fazia calcular seus passo milimetricamente.

“…não havia nada cobrindo os olhos…”

Eles estavam frente a frente. Não teriam mais como mentir um para o outro. A verdade estava claramente dita, sem esboçar uma vogal. E a vontade não precisava ser comentada, estava nos olhos. Esses, que por fim, estavam abertos mirando uns aos outros. Sem mascaras, sem contratos, sem guias. Eram somente os dois pares de olhos, enfim se enxergando.

“…Impossível voltar a fantasiar…”

As emoções estavam fluindo no corpo de uma pessoa calculista. Quando deu por si, já estava entregue as emoções de uma pessoa impulsiva. O mundo começou a girar como nunca antes visto e sentindo. Era pra isso que ele ia servir? Mas algo os prendia, os amarravam. Nada passava de miradas estrategicamente planejadas foi então que viu que o seu mundo de emoção não existia. Ele era mais jogador que ela, e ela não aceitava perder.

“…E tristemente, admitiu que não foram feitos um para o outro…”

Advertisements

Read Full Post »

Eu nunca fui à garotinha que ganhava tudo na escola. Eu não ganhava o concurso de mais bonita, nem de mais simpática quem dirá de rainha do colégio. E com isso a minha vida escolar não foi as das mais agitadas. Os garotos mais bonitos não olhavam pra mim, quer dizer, olhavam….  pra pedir licença pra passar, isso quando pediam. Mas sinceramente? Não me afetou muito.

Bom, claro que os garotos que eram afim de mim nunca eram os bonitos. Lógico que sempre tinha um alto, loiro de olho azul, mas podia ter certeza que tinha a cara lotada de espinhas e era problemático.  Não que eu não fosse problemática, claro que eu era. Eu era apaixonada pelo guri mais popular da escola. Eu babava nele o tempo todo. Era ele mexer no cabelo que eu me derretia. Com certeza eu tinha sérios problemas, eu achava lindo ele suado depois de jogar futebol. Problemática, fato!

Mas sabe aquelas garotas bonitinhas que ganhavam tudo? Bom, hoje uma ta casada e com filho, detalhe ela tem a minha idade, 22 anos. A outra mexeu no nariz, mas o pó continua aparecendo na ponta dele, sempre que ela sai do banheiro de alguma festa.  A vida foi um pouco cruel com elas e eles, no meu ponto de vista. O garoto que eu fui apaixonada, por exemplo, hoje não faz nada além de ser subordinado do pai. Ok, isso é bom? Pra mim não é…. meu pai podia ser um milionário, mas eu ia querer fazer algo por mim. Estudar, correr atrás de emprego, comprar uma casa com o meu suor. Se isso não acontecer, tudo bem, pelo menos eu tentei. Mas eu nunca ia conseguir ser subordinada do meu pai pro resto da vida.

As gurias eu não preciso nem dizer muito, né?! Conseguiram pegar um sapo na seca e o conto de fadas acabou. A carruagem virou abobora, o sapatinho de cristal quebrou, e o lindo vestido azul virou um vestidinho de algodão todo sujo de leite de criança. Não sei vocês, mas pra mim foi bom ser a feinha da escola. Antes eu não escutava que eu era bonita, isso serviu pra eu tentar melhoras, e hoje até os gays me chamam de bonita (não que eu seja, mas né?! É bom pro ego). Antes eu não ficava com os guris que eu queria, hoje continuo não conseguindo ficar com todos que eu quero, mas com os que eu fiquei me fizeram perceber que os outros….  bom, os outros não me mereciam. Aprendi a me dar valor a escolher amizades sinceras. Nunca precisei pegar um sapo pra conseguir manter a minha fama. E não tem nada melhor do que não ter fama.

Read Full Post »

Nunca fui muito de reparar no comportamento masculino nos shopping, mas hoje me dei ao luxo. Quer dizer, tive que fazer comprar e por conseqüência tive que esperar a minha mãe chegar com o carro. Ok, fato esse pouco interessante, vamos volta para os homens.

Após as comprar me sentei em um dos bancos (aqueles que ficam no meio do shopping) para esperar e comecei a reparar nos homens que ali passavam em grupos. Tanto novos quanto velhos faziam a mesma coisa. Veja bem, sem pudor algum, falavam em voz alta e com ares de machões em busca da vitima perfeita. (Ok, exagerei, mas bem pouquinho)

Ao longo de cinco minutos reparei em dois rapazes que passavam. Bem vestidos com cara de moços de família. Vieram cochichando algo que de longe não se dava para saber ao certo o que era, até se aproximarem.

Ta vendo aquela d’ali? Aquela, de calça preta… – dizia um deles
Sei, sei…. é realmente é. – dizia o outro olhando descaradamente para dentro da loja.

Eles foram simpáticos até, porque me forcei a olhar para a loja e a guria estava de costas para a vitrine. Sim, caras amigas… era uma atendente. Nada contra elas, são mulheres do mesmo nível que nós, mas por favor?! Vamos deixar as gurias trabalhar em paz, ou vocês ainda acreditam que eles não passam lá todos os dias para ver a tal garota? Acreditam ainda que ela não viu que eles fazem isso? E que as amigas não tiraram com a cara dela? Ok, se acreditam não precisam mais lê.

Depois deles vieram mais quadros ou cinco não sei ao certo, caminhando e falando alto algumas coisas relacionadas ao trabalho. Foi quando então um senhor (sim, senhor com mais de 40 anos) que estava indo na frente faz uma parada brusca na frente da porta da loja e grita voltando pra trás.

Ohhh Matheus, Matheus, olha lá, bah….(nesse momento ele cochichou algo inaudível para o tal Matheus. Que por sua vez respondeu.
Fliiiiiiiiiiiiiiii – aquele barulho que fazemos quando abrimos mal, mal a boca e puxamos o ar junto com a saliva. Sim, aquele barulho que geralmente pedreiro faz quando tu passas na frente de uma obra antes de soltar um “Oh, gostosa”.

Podem me chamar de ingênua, mas nunca imaginei que homens que aparentam ter “classe” seriam uns pedreiros após o almoço olhando as atendentes de loja. É no fundo, no fundo, todo homem é um pedreiro nojento. E ai eu me pergunto, por que diabos nós procuramos tanto???

Read Full Post »

Como hoje é dia do solteiro queria posta uma texto legal. Mas estou muito envolvida com o meu “livro-conto” então não consegui escrever nada. Porém, graças a minha amiga Joice, recebi esse texto por e-mail.

Realmente não sei quem escreveu. Se alguém souber por favor me avisem para eu colocar os créditos. Vamos ao texto.
Tudo bem… queremos meninas legais, sexy, saradas, bonitas, inteligentes e boazinhas… Muito fácil falar, pois quando aparece uma assim, de bandeja, a primeira coisa que a gente pensa é: Oba, me dei bem. Ficamos com elas uma vez, duas. Começamos a pensar que essa é a mulher que nossas mães gostariam de ter como noras. Se sair um relacionamento, vai ser uma relação estável. Você vai buscá-la na faculdade, vocês vão ao cinema, num barzinho, vai ter sexo toda semana… O amor bate na tua porta. Tudo básico, até virar uma rotina sem graça… Você vai olhar os caras bem vestidos e bem humorados indo pra noite arrasar com a mulherada e vai morrer de inveja. Vai sentir falta de dar aquelas cantadas infalíveis na noite, falta de dar umas olhadas pra uma gata, ou de dar aquela dançadinha mais provocativa na pista…

Você pensa: Acho que não estou pronto pra isso, pra me enclausurar pro resto da vida nesse relacionamento. E a boa menina se transforma numa MALA, e aos poucos vai surgindo um nojo dela, uma aversão. Quando você vê o nome dela no celular, não dá vontade de atender… JÁ ERA. Daí aquela promessa de vida estável vai por água abaixo, se a menina não se dá conta, a gente começa a ser grosso, muito grosso. E a pobre menina pensa: O que eu fiz?? Coitada, ela não fez nada, a culpa é nossa mesmo…

Aí, a gente volta pra nossa vidinha, que a gente odiava até semanas atrás. A gente não vê a hora de sair e arrasar na noite… ou pegar aquela mulher gostosona que sempre quisemos.

GRANDE DESILUSÃO. Você chega em casa depois da balada, sozinho e fica tentando descobrir porque você não está satisfeito.

FRUSTAÇÃO. Daí, por mais que não queira, você pensa na sua menina boazinha que você deixou pra trás…ela podia ter seus defeitos mas era uma menina legal… que ficaria ao seu lado te dando valor…

Enquanto isso a boa menina, chateada, lesada, custa a entender o que ela fez pra ter te afastado dela…daí essa dúvida vira ANGÚSTIA, que vira RAIVA. Daí, a menina manda tudo a PUTA QUE PARIU!!!

Não quer mais saber de nada, só de sair, zuar, dançar e beijar outros caras!! Resolve não se envolver mais, pra não sair lesada ou chateada..Muito bem!!! Acabamos de criar uma MONSTRA…O tempo passa e a gente continua na mesma..volta a reclamar da vida e das mulheres..Elas só querem as coisas com homens cachorros e não estão nem aí pra nós… ou será que nós é que fomos os cachorros????

Elas são assim por culpa nossa. A mulher da night de hoje, era a boa menina de outro homem ontem, e assim sucessivamente…Provavelmente essa nossa ex-boa menina, deve estar enlouquecendo a cabeça de outro homem por aí…Eu a perdi pra sempre, ela virou uma mulher enlouquecedora e a encontrei na balada..e ela???…

….Nem olhou pra mim… mas estava mais linda do que nunca…

Pois é meninos, isso realmente acontece não tem como negar. Não podemos dizer que todas são assim e nem que somento ocorre com mulheres desiludidas. Mas que acontece, acontece!
Por fim, feliz dia do solteiro a todos. \o/

Read Full Post »